Apodi RN

Loading...

domingo, 31 de julho de 2011

SUBSÍDIOS PARA A HISTÓRIA DO SÍTIO "SOLEDADE". (Conclusão).


 
 As  características  personalísticas  comuns  às  famílias  BRUACA, TARGINO  e  TENÓRIO  são  definidas  pelas  atitudes  firmes, dignidade  e  honra  pessoal.  Dignas  famílias  compostas por  homens  e mulheres que  acreditam  na  força  da  palavra  empenhada,e no  entendimento  de  que  o  que  foi  firmado  em  compromisso  deve  ser  mantido  em  qualquer  circunstância.  Tem a  lealdade   e
a  confiança  mútuas  como  base  para  consolidação  de  amizade  estável  e  duradoura. São valorosas  famílias, fiéis  aos seus temperamentos  de  convicções  antigas  e  irredutíveis  de  obstinação  e  determinação. Elegantes  na  simplicidade  da  vida  cotidiana. Constituem  o mais  seguro  roteiro  histórico  do  costume  sertanejo  do  entrelaçamento  familiar  restrito  à  pessoas  destas  três  famílias, evidenciando a  identidade  com  a  alma  do  passado, como  condição  indispensável  para  se  pensar   na  vida  do  futuro.  Devotam  profundo  respeito  aos  seus  princípios  tradicionais,que  entre  elas  representam  uma  norma  de  conduta. Só em ter  seus  nomes  citados, imprimem  acatamento, respeito  e  confiança.  Meu  avô  e  meu  pai  tiveram  a  honra  de  contar  com  a  elevada  estima  e  amizade  destas  honradas  famílias. Na  retina  do  meu  passado  de  menino  de  dez  anos, lembro-me   que  fui  hóspede, junto com  o  meu  saudoso  pai, do  amável  casal  sêo  ODILON  TARGINO  e  dona  PRETA.  Final  de tarde, sentava-me  em  tamborete  com  assento  de  couro  de  boi, defronte  a  casa, ouvindo  os velhos Bruacas  e  Targinos  a  relembrarem  suas  andanças  pela  vastidão  da  Chapada  do  Apodi. Durante  as  conversas, serviam-nos  um  cheiroso  café  torrado  e  moído  em  casa, por  dona  Preta. Em ano  de seca, podia-se  ouvir  o  zumbido  das  "cigarras"  rasgando  a  teia  do  silêncio  da  caatinga. Saudosas  tardes  de  ar  provinciano, onde  eu  fitava  o  horizonte  até  o  derradeiro  raio  de  sol  a  abrir  o  caminho  da  noite.
                       Sobre  a  família  TENÓRIO, colhí  importantes  subsídios  históricos  ouvindo  pessoas  de  idade  longeva, como  os  
Srs.   Natim  Targino, João  Martins  e  Tibúrcio  Bruaca  - que  é  o  mesmo  Tibúrcio  Goela, que faleceu  beirando  os  100  anos  de  idade.  Todos  nascidos  e  criados  no  sítio "Soledade".  Restou  comprovado  que  a  família  TENÓRIO  fixou-se  inicialmente  no  sítio  "Baixa  Verde", na Chapada  do  Apodi, por  volta  do  ano  de  1940, tendo  como  tronco  inicial  o  Sr. PEDRO  TENÓRIO e  esposa  Maria.  Este  venerando  casal  chegou  em  Apodi  vindo  do  sítio  "Passagem  de  Pedras", em  Mossoró, onde  ficaram o  pai  e  os  irmãos  de  Pedro, cujo  pai  era  conhecido como sendo  o  velho  CHICO  TENÓRIO.  Do casal  PEDRO  e  MARIA  nasceram  os seguintes  filhos:  F.01-  CHICO  TENÓRIO, que  casou  com  dona  FRANCISCA, filha  do  velho  João  Targino,tendo fixado  residência  no  sítio  "Soledade"  onde  vivia  da  fabricação  da  cal; F.02- RAIMUNDO  TENÓRIO, casado  com Doca; F.03- ALDENOR  TENÓRIO; F.04- ANTONIO  TENÓRIO, casado  com  uma filha de Belino da  "Baixa  Verde"; F.05- TIQUINHO  TENÓRIO;
F.06-  RAIMUNDA  TENÓRIO, casada  com  Antonio  Pequeno; F.07- MARIA  TENORIO; F.08- TIQUINHA  TENÓRIO, casada  com  José  Eleutério, filho  de  Eleutério, vaqueiro  de  Manoel  Negreiros.
                      No  arcabouço histórico  do  sítio  "Soledade"  não  há  como  não  se fazer  alusão  ao  ícone  representado  pelo  "LAJEDO  DE  SOLEDADE", mundialmente  conhecido, por  suas  gravuras  rupestres. Quatro  figuras  exponenciais ligam-se  intrínsecamente  à   história  e  a  preservação  do  acervo arqueológico  do  "LAJEDO":  O  inolvidável Padre  FRANCISCO  CORRÊIA  TELLES  DE  MENEZES; O  incansável  historiador  VINGT-UN  ROSADO; O  insígne  e  profícuo  Padre  PEDRO  NEEFS, e  a  historiadora  e  poetisa  MARIA  AUXILIADORA  DA  SILVA  MAIA (Dodora  de  Tião  Lúcio). Não é de  hoje  que  estas  pinturas  chamam  a  atenção  dos  visitantes  que  passaram  próximo  ao  Lajedo, ou que delas  tenham  ouvido  relatos. Ainda  no
Século  XVII  as  pinturas  foram  citadas  pelo  pelo  Padre  Jesuíta  FRANCISCO  CORRÊIA  TELLES  DE  MENEZES, que percorreu  os  sertões  nordestinos entre o  ano  de  1797  a  1817, catalogando  e  elaborando  minucioso  relatório  das  pinturas  rupestres  existentes  em  grutas e  lajedos, compilados  no  Tomo IV  intitulado "DA  LAMENTAÇÃO  BRASÍLICA". Este  texto traz  consigo  a primeira  informação  sobre  o  "LAJEDO  DE  SOLEDADE":
                     "LAJES  DA  SOLEDADE  -  Este  sítio é  da  entrada  da  "Picada  do  Apodi"  para  diante  uma  légua.  É  dono de  
uma  parte  dele  JOSÉ  LOPES, morador  nas  vargens do  Apodi, o qual  diz  que, quando  cavou  o  olho  d'água, que é  entre  pedras, descobriu-o  subterrâneamente  muitos  cacos de telha  e  de  louça, como   que  com  eles se  fez  o  entupimento, e  logo  pulsou  água  em  abundância.  Este  poço  está  em  uma  ilharga  dum  pequeno  terreno  de  terra  firme, entre  grande  lajeiro  de  
pedra  de  cal, por  cujas  ribanceiras  e  locas  estão  muitos  sinais  de  tinta  encarnada; mas  como  é  aposento  de  passageiros,
estes  os  tem raspado  com  facas  e  ralado  com  pedras, e  que  por  isto  já  mal  se  divulgam". (FONTE:  Google/Arquivo  PDF - "MUSEALIZAÇÃO  E  ARQUEOLOGIA: DIAGNÓSTICO DO  PATRIMÔNIO  ARQUEOLÓGICO  EM  MUSEUS  POTIGUARES".  Abraão  Sanderson  Nunes  F.  da  Silva -  USP/MUSEU  DE  ARQUEOLOGIA  E  ETNOLOGIA. PROGRAMA DE  PÓS-GRADUAÇÃO  EM  ARQUELOGIA").
                      Quando  o  dinâmico  e  profícuo  Padre  PEDRO  NEEFS  chegou  ao  Apodi (1965-1969)  para  dirigir  a  sua  paróquia, foi  informado  pelas  três  famílias acima citadas, de que existia  um  lajedo  onde  eram  encontradas  várias  pinturas, o que despertou a  curiosidade  em  conhecê-las, bem como  desenvolver  trabalhos  de  conscientização  da  comunidade  quanto  à  necessidade  histórica  da  sua preservação. Conseguiu  juntar  considerável  acervo arqueológico, tais  como  peixes  fossilizados e  outras  faianças, cujo  material  possibilitou  a  criação de um  museu  natural  na  sede  da  FUNDEVAP. Vale  ressaltar  que,  após a  mudança  do  Pe. Pedro  Neefs  para  outra  paróquia  distante, o  lajedo  ficou  totalmente  entregue  ao  abandono, não tendo  sucumbido  à  sanha  destruidora  dos donos de  caieiras, graças  à  abnegada  e  desprendida  historiadora  DODORA  DE  TIÃO  LÚCIO, que  em  magnânima  e  louvável  atitude  chegou  ao  ponto  de  vender  um veículo  de  sua  propriedade  para  arcar  com  a impressão  de  cartões  postais  enfocando  as  pinturas  rupestres, para  divulgar  no  país  inteiro. Graças  à  esse  incansável  e contínuo  empenho  de  Dodora, a  PETROBRÁS  cerrou  fileiras  com  ela  para  catalogar, preservar  e  divulgar  o  patrimônio arqueológico  do  lajedo  para  o  mundo  inteiro. O  apego  e  o  amor  de  Dodora  ao LAJEDO DE  SOLEDADE  encontra-se  espraiado  nas  páginas  21  e  22  do  livro de  minha  autoria  intitulado "DATAS  E  NOTAS  PARA  A HISTÓRIA  DE  APODY", vol. I : .....O  que  me  restará  fazer  pela  história  do  meu  Apodi? Talvez  apenas  envelhecer  caminhando  sobre as  pedras  milenares do  Lajedo de  Soledade  e  olhando  o  por-do-sol  sobre  a  nossa  lagoa".  A  dinâmica  Dodora  ainda  reuniu  todos  os  apontamentos  históricos  sobre  o Lajedo, nos  dando  o  legado  de  um  livro  intitulado "LAJEDO  DE  SOLEDADE (história de) UM  POEMA  DE  PEDRAS".  Apodi  e seu  povo devem  este  grande  preito de  reconhecimento  e  gratidão  a  essa  brava  e  incansável defensora  do  Lajedo de  Soledade e  seu  expressivo  acervo  arqueológico.
                    Aos  pesquisadores  e  historiadores, sugiro  a  consulta  a monogafia  acima  citada  e  esta  monografia  contida  no  Google/ Arquivo  Pdf -  intitulada  "O  LAZER  E AS  ALTERNATIVAS  DE  GERAÇÃO DE RENDA:  O TURISMO  CULTURAL  NO  LAJEDO  DE  SOLEDADE, APODI/RN). Monografia de  Elizabeth  Cíntia  Medeiros de Oliveira, apresentada  como  requisito para  a  obtenção do grau  de  Bacharelado em Antropologia e  Sociologia  no Curso de Ciências  Sociais da  UFRN.
                    O Sr. JOSÉ  LOPES  referenciado  pelo  Padre  Francisco  Corrêia  Telles  de  Menezes  é  personagem  constante  dos  meus  alfarrábios. No  assento de óbito  encontrado em  um  dos livros  do 1º  Cartório  Judiciário de  Apodi, do ano de 1933, à  fls. 170/v, consta  que  o  mesmo  tinha  o nome  completo  JOSÉ  LOPES DE  LIMA, filho  legítimo de  José Lopes de  Oliveira   e  de  Luzia de Lima, e faleceu  no  sítio  "Trapiá" (várzea do Apodi)  a  20.05.1933, aos  83 anos de idade, deixando  a  viúva  ANTONIA  VIRGÍNIA DE OLIVEIRA  e  os  filhos  JOÃO LOPES DE LIMA, casado  com  Petronila Alves de Oliveira; JOSÉ LOPES  FILHO; solteiro com 28 anos; SEBASTIANA  ALVES DE  OLIVEIRA, casada  com  João Ferreira  Gama; MARTINHA  ALVES  DE LIMA, casada  com  Antonio Lúcio  da  Silva  (Pais de João de Toinho,que  mora  vizinho ao cemitério); e ESMERALDINA  ALVES DE LIMA, casada  com Henrique  Eufrásio  de  Lima (Pais de Zacarias  Eufrásio  de Lima).
Por. Marcos Pinto.

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Supermanual - Como viajar de graça


Você não precisa de um tostão para correr o mundo - basta uma boa estratégia na mala. Veja aqui como você vai garantir a sua próxima viagem.

por Texto André Bernardo Ilustração Sattu Edição Cláudia Fusco e Fabiane Zambon

(Clique nos quadrinhos para ver) 

7 objetos incomuns que já foram roubados


Quem nunca teve o celular, a carteira ou o dinheiro do ônibus roubado pode levantar as mãos para o céu, porque não está fácil para ninguém, né? Nesta lista não entram os objetos cotidianos nos Boletins de Ocorrência da polícia do mundo afora. Separamos para você aquelas coisas muito especiais, específicas, grandes ou estranhas demais que foram roubadas ao longo da história. Esses ladrões da lista tiveram que ter muita força de vontade e foco no objetivo para levar os ítens abaixo. Imagina se eles tivessem usado essa energia para outros fins?
1 – Poste de luz cenográfico
O poste de luz em que Gene Kelly girou na sua famosa cena em Cantando na Chuva foi salvo do lixo por Brian Goetzinger. O moço fazia parte da equipe de trabalhadores que limparam os cofres dos estúdios MGM quando eles cederam seu terreno para a Lorimar Telepictures na Califórnia, nos EUA, em 1986. Mas isso não foi roubo! Acontece que Brian reconheceu o poste mais famoso da sétima arte e resolveu instalá-lo no jardim da frente de sua casa. Quatro anos depois, em 1990, o poste foi roubado de verdade em uma madrugada escura e nunca mais foi recuperado.
2 – Cabana
Uma cabana pré-fabricada de 3×6 metros foi roubada de uma fazenda de 16 hectares na Califórnia, EUA, em 2003. Ela era utilizada como casa de férias por um casal. Além da cabana inteira, que deve ter demorado de um a dois dias para ser desmontada, foram roubados um gerador de eletricidade, um barraco, uma cama antiga que era herança de família, uma bomba de poço, um tanque de água de 9 mil litros e tudo que havia dentro da casa, incluindo pasta de dentes e travesseiros! Não encontraram os culpados, nem a cabana, nem nada. Poucos dias depois, o casal que teve sua vida inteira roubada recebeu uma nova casa de presente de uma empresa de edificações pré-fabricadas.
3 – Meia cabeça humana
Em maio de 1992, Jason Paluck, um estudante de medicina da Adelphi University, em Long Island, nos EUA, foi preso quando estava sendo despejado de seu apartamento. O locatário descobriu meia cabeça humana (!) em um saco plástico enquanto revisava o imóvel e chamou a polícia. O ladrão admitiu que roubou a meia cabeça de um dos laboratórios de sua faculdade. Por que uma cabeça? Por que meia cabeça? Quem levou a outra metade? O que ele faria com ela? Ninguém sabe.
4 – Carteira de George Washington
George Washington foi o primeiro presidente constitucional dos Estados Unidos e governou entre 1789 e 1797. Dois anos depois de deixar o poder, ele morreu. Nem todo o respeito que a população americana tinha por ele impediu que sua carteira fosse roubada. A surrada carteira de couro marrom foi surrupiada de um estojo destrancado no Old Barracks Museum, em Trenton nos EUA, em fevereiro de 1992. Dentro dela havia uma nota de dois terços de dólar datada de 1776 e uma nota de um dólar de 1779. Mais tarde, a carteira foi devolvida à polícia anonimamente, com as notas dentro.
5 – Máquina de camisinhas
Em novembro de 1994, Keith Bradford bebeu três cervejas em um pub em Michigan, EUA, e se achou no direito de levar a máquina de venda de camisinhas do estabelecimento com ele. Planejava uma noitada, talvez? Bradford arrancou a máquina do banheiro masculino da parede e simplesmente saiu do bar com ela debaixo do braço. É claro que todo mundo viu e chamou a polícia – eles seguiram o maluco até sua casa e recuperaram a máquina, 48 camisinhas e 30 dólares.
6 – Queixo sagrado
Sim, o queixo de Santo Antônio foi roubado! Sua mandíbula e diversos dentes estavam guardados na Basílica de Santo Antônio, em Pádua na Itália. Em outubro de 1991, três homens mascarados, um deles com uma arma, entraram na basílica levaram a relíquia, assim como uma taça de ouro e algumas pedras preciosas que também estavam em exposição. O ouro sumiu, mas o queixo sagrado foi encontrado perto do Aeroporto Internacional de Roma pouco tempo depois.
7 – Troféu da Copa do Mundo
Acho que essa história você já conhece: a Taça Jules Rimet foi um troféu feito com 3,8 kg de ouro puro, concebido para ser entregue definitivamente ao primeiro país que conseguisse vencer três Copas do Mundo. Ela foi roubada duas vezes. A primeira, em 1966, enquanto ainda estava sendo guardada para o tricampeão da Copa. O ladrão do troféu foi encontrado, mas ele nunca confessou ou disse onde havia guardado a taça. Foi um cachorro chamado Pickles, que passeava com seu dono pela região sul de Londres, que farejou e encontrou a Taça, enrolada em folhas de jornal debaixo de um arbusto.
Mais tarde, em 1970, o Brasil trouxe a taça para casa ao conquistar o tricampeonato mundial. Mas o troféu não estava a salvo. Em 1983, três brasileiros e um argentino roubaram a Jules Rimet da sede da Confederação Brasileira de Futebol, no Rio de Janeiro. O troféu foi derretido e nunca mais erguido por nenhuma seleção de futebol.
Link para esta postagem: http://super.abril.com.br/blogs/superlistas/7-objetos-incomuns-que-ja-foram-roubados/

APODI EM 1º FOCO

Na reunião que os advogados apodienses tiveram em Natal com a presidente do TJRN, fiquei muito feliz ao ver a presença da situação e oposição nesta reunião em prol de APODI. 

A presença da prefeita Goreti e de Flaviano Monteiro - que representam hoje, sem sombra de dúvida - situação e oposição na política de Apdoi, mostra que quando o assunto é Apodi e suas necessidades sociais é preciso cobrar e exigir soluções juntos com àqueles que necessitam - no caso os advogados apodienses que estão sendo prejudicados ao prestar seus serviços e a população que está sem uma resposta dos trabalhos advocatícios a contento. 

A presença de Flaviano e de Goreti na reunião não tira os méritos do corpo de advogados neste processo de luta pois é sabido que os mesmos estão há vários meses se reunindo para traçar metas no sentido de buscar melhorias de trabalho para eles e os jurisdicionados da comarca de Apodi.

O que eu, particularmente espero e quero, é que a árvore plantada agora dê os frutos que a sociedade apodiense gostaria. 




No tocante ao lado político propriamente dito, diria eu que o professor Flaviano Monteiro e o deputado estadual  Getúlio Rego, que também participou do evento pró-jurídico, afinaram o discurso relativo ao pleito vindouro. Conversaram bastante.

 

 Comitiva de advogados apodienses que lutam pela melhoria nas condições de prestação de seus serviços junto à população de nossa Apodi.



Prefeita Goreti ao lado da presidente do TJRN, advogados Mario Willys, Pedro e vereadores.
Fonte: APODIPOLÍTICO

NOVA GERAÇÃO NA AURORA DA SERRA

Neste final de semana, a Nova Geração esteve na comunidade de Aurora da Serra. O convite foi feito pelo morador BIRA, que é funcionário publico municipal e trabalhador da matéria prima da cal - a pedra.

Bira fez o convite à NOVA GERAÇÃO, pois o mesmo quer entrar para a política e gostaria de conhecer melhor o formato empreendido pelo grupo. 

O professor Flaviano e todos que se deslocaram até aquela comunidade ficaram muito felizes com a receptividade de todos que participaram da reunião promovida por BIRA. 







 O escritor Wendel fez questão de mostrar uma carta que, segundo o próprio, só será aberta no dia em que a UNIVERSIDADE se instalar em Apodi.



Bira conversa sobre os problemas da comunidade e diz estár disposto a lutar para a resolução de todos.
Fonte: APODIPOLÍTICO

quarta-feira, 27 de julho de 2011

OS ANIMAIS MAIS ESTRANHOS DO MUNDO


  • Ocapi

Ocapi é um animal particularmente estranho, ele mais parece ser um cruzamento entre uma girafa e uma zebra. Na realidade estes animais nativos das florestas húmidas do Congo, pertencem à família das girafas, porém não são tão grandes…
Eles têm o pelo escuro na parte superior do corpo e riscas na inferior, possuem uma forma semelhante à da girafa, mas têm pescoços muito mais curtos e são também mais pequenos. O que as duas espécies partilham do mesmo tamanho são as línguas, que podem chegar aos 30 centímetros de comprimento. E sabia que as girafas e os ocapis são os únicos mamíferos do planeta que conseguem lamber as suas próprias orelhas?
  • O Peixe Com Pernas

O vulgarmente chamado “Walking Fish” não é na realidade um peixe mas sim um anfíbio, contudo isso não o impede de ser uma criatura muito estranha. É um estilo de salamandra, porém para os leigos parece ser literalmente um peixe com pernas que dá longos passeios pelo chão do oceano…
Este animal é carnívoro, o seu nome oficial é “axolot” e possui uma capacidade de regenerar praticamente todas as partes do seu corpo. Apesar da habilidade incrível, esta é uma espécie em vias de extinção. É uma espécie bizarra é verdade, mas seria triste se ela desaparecesse.
  • Tartaruga de Casco Mole De Castor

O seu nome oficial é “Pelochelys cantorii”, é talvez um dos animais mais raros do mundo e também um dos mais bizarros. Trata-se de uma tartaruga de água doce de carapaça mole, que pode atingir os dois metros de comprimento. É um animal carnívoro e naturalmente adeptos das emboscadas…pois a velocidade não é o seu ponto forte…e nem a beleza já agora…
O mais curioso neste animal, é que não é uma tartaruga do mar, ela prefere viver em terra perto de pântanos e pantanais e o que é ainda mais curioso é o facto de este animal viver 95% da sua vida enterrado e imóvel. Ele sai apenas duas vezes por dia para respirar, o resto do tempo é passado mesmo debaixo de terra à espera da próxima refeição…
  • Peixe Bolha

Aqui está um animal que quem viu muito dificilmente o irá esquecer, o Blobfish ou “Peixe Bolha” em português é uma espécie de peixe que pode ser encontrado nas águas profundas da Austrália e Tasmânia
Se olharmos com atenção parece que estamos a olhar para a cara de um idoso irritado com a vida. Este efeito engraçado ocorre porque o corpo deste animal é gelatinoso o que lhe permite suportar pressões muito altas e nadar com facilidade em águas profundas. Interessante – ou talvez não – é que estes animais também se sentam nos seus ovos até à eclosão…
  • Toupeira Nariz-De-Estrela

Esta toupeira é simplesmente assustadora, possui um dos narizes mais bizarros que eu pessoalmente já vi, que lhe servem como órgãos sensoriais e permitem movimentar-se nos túneis com facilidade, o que é muito importante tendo em conta que esta toupeira é como todas as outras, cega…
Podemos encontrá-la na América do Norte, geralmente perto de lagos ou rios, se bem que este não é um daqueles animais que um indivíduo queira encontrar…
  • Aye-aye

Não caro leitor, não me dói nada, o Aye-aye é mesmo um lémure do Madagáscar que tem dentes de roedores e um dedo muito comprido que o ajuda a retirar larvas dos buracos das árvores. Infelizmente esta é também uma espécie que corre muitos riscos graças à destruição das florestas na região.
  • O Peixe Sugador

É um peixe da família dos peixes-gato e é chamado de “Lithogenes Wahari”. Foi uma espécie descoberta recentemente na Venezuela e possui características únicas. Com a sua boca o peixe é capaz de reproduzir na perfeição um efeito sugador que lhe permite nadar contra as mais fortes correntes e até pode subir em superfícies verticais. Impressionante não é?
  • O Macaco-Narigudo

À partida pode parecer que eu estou a fazer pouco de uma espécie, mas a realidade é que o macaco narigudo, é literalmente um macaco com um nariz enorme. De acordo com os nativos este é um macaco com poderes sobrenaturais e será responsável por guiar as nações para os caminhos da luz…
Mas este nariz gigantesco tem as suas vantagens, pois é graças a ele que os machos conseguem atrair a atenção das fêmeas que se sentem atraídas por eles. Os narizes servem também para os macacos darem alertas sonoros sempre que o perigo anda por perto.


Link para esta postagem: http://dementia.pt/os-animais-mais-estranhos-do-mundo/