Apodi RN

Loading...

quinta-feira, 19 de julho de 2012

EVOLUÇÃO URBANÍSTICA DE APODI - HABITANTES DO ''QUADRO DA RUA'' NOS ANOS DE 1930 A 1950. (Parte 04).

          O  crescimento  urbano  desordenado  projetou  uma  certa preocupação  no  nosso  historiador  conterrâneo  JOSÉ  LEITE,  que  trouxe  para  as  páginas  do  Livro III   - ''FLAGRANTES  DAS  VÁRZEAS  DO  APODI'' :  '' Vale  salientar  e  discutir  aqui  o  crescimento  urbano  (Quase  desordenado)  da  sede  municipal  que, em  quarenta  e  três  anos, aumentou  de  324  para  quase  8.000  prédios.  Devo  acrescentar  que, ao  sair  do  Apodi, em  Maio  de  1945, contei  cuidadosamente  todas  as  casas  do setor  urbano   e encontrei, apenas, 324  construções  e  hoje, segundo  estimativa, elas  devem  somar  cerca  de  8.000, restando-nos  questionar  se  tal  crescimento  foi  normal  ou, pelo  contrário, mal  dimensionado,  sujeitando  a  nossa  terra  a  um  enfrentamento  de  consequências  imprevisíveis.   A  análise  nos  faz  remontar a  certeza  de  que  é  difícil   viver  o  presente  e  projetar  o  futuro  sem  buscar  no  passado   os  exemplos  e  os  valores.
Prédio antigo onde funcionava o bar satélite, em décadas passadas
            Volvemos  ao  painel  dos  antigos  imóveis  residenciais  e  comerciais  da  atual  Rua  São  João  Batista.  O  vigésimo-sexto  imóvel,  hoje  pertencente  ao  comerciante  do  ramo  de  tecidos  sr. JOÃO  LUCAS  pertencia  ao  Coronel  Lucas  Pinto,  que  o  havia  comprado  ao  Sr.  Cazuza  Marcolino, pai  de  Janjoca  Marcolino, que  por  sua vez  é  o  pai  de  Leonildes  Marcolino.  a  Vigésima-sétima  casa  pertencia  a  uma  família  do  sítio  ''Córrego''.    A   Vigésima-Oitava  casa  pertencia  ao  sr. MANOEL ANTONIO DE  ALBUQUERQUE  MOTA, 
popularmente  conhecido  como  ''Néo  Mota'',  que  veio  a  ser  sogro  de  Gabriel  Maia (Gabí).  A  Vigésima-Oitava  casa  pertencia  ao  Sr. CESÁRIO  MONTEIRO DA  COSTA, casado  com  Joana  Gomes de  Oliveira, da  família  dos  FERREIRA  LEITE  (dos  Pichecos), e  foram  pais  de  João  Gomes  da  Costa,  casado  com  Letice  Magno  Pinto, que  por  sua  vez  são  os  pais  de  Mana  Pinto.   A  Vigésima-Nona  casa  pertencia  ao  Tabelião  Público  SEBASTIÃO  PAULO  FERREIRA  PINTO, nascido  em  1888, e  criado  por seu  tio  paterno  o  Coronel  Antonio  Ferreira  Pinto.  Sebastião  Paulo  era  casado  com  sua  prima  Sinházinha, filha de  Sebastião  Corrêia  de  Oliveira  Pinto e  Maria  Amância  de  Oliveira, e  era  amigo  íntimo  do  chefe  de  jagunços  Benedito  Saldanha, com  quem  cerrava  fileiras  na  facção  política  oposicionista  aos  Coronéis  João  Jázimo  Pinto, João  de  Brito  Ferreira  Pinto  e  Francisco  Ferreira  Pinto.  Sebastião  Paulo  e  Sinházinha  não  tiveram  prole, porém, adotaram  vários  parentes, dentre  estes  o  Zé  Cotí,  que  reside  em  Natal. 
A Trigésima  casa  pertencia  ao  conhecidíssimo  ''Major  Barra'', cujo  nome  civil  era  FRANCISCO  PEDRO  DE  OLIVEIRA  COSTA,  do  clã  familiar  dos  BARRA, denominativo  familiar  vinculado  ao fato  de  terem  nascido  no  sítio  ''BARRA'',  feudo  territorial  da  família, cujas  terras  começam  da  margem da  lagoa  estendendo-se  até  o  sopé  da  serra.  Outro  personagem  desta  honrada  família  que  teve  destacada  atuação  política  em  Itaú  foi  o  Sr.  Luiz  Manoel  de  Oliveira, conhecido  popularmente  como  SENHOR  BARRA, que  foi  eleito  Vice-Prefeito  em  Itaú, em  1962.   A  Trigésima-Primeira  pertencia  ao  Sr.  HILDEBRANDO  LEITE, nascido  em  Apodi  a  03.08.1907, filho de  Manoel  Ferreira  Leite (Mané  Leite)  e  de  Francisca  Gomes  Leite. Hildebrando  casou  com  dona  ESTELITA  PAMPLONA  e  foram  pais  de  DERIM  LEITE  e  ADÉLIA.   A  Trigésima-Segunda  casa  pertencia  ao  farmacêutico  e  político  ANTONIO  LOPES  FILHO, conhecido  popularmente  como  Sêo  TONHO LOPES, eleito  Vice-Prefeito  de  Apodi  em  21.03.1948, como  companheiro  de  chapa  do  Prefeito  eleito  Francisco  Holanda  Cavalcanti (Nenen  Holanda) tendo  casado   com  Armandina  de  Góis  e  foram  pais  do  Professor  Robson  Lopes, homem  de  reconhecidos  e  elevados  atributos  intelectuais.

Por Marcos Pinto - HISTORIADOR APODIENSE

terça-feira, 10 de julho de 2012

GEOGRAFIA: Belos lugares da Terra – Cabaceiras (Roliude nordestina) - PB, Brasil


Cabaceiras é uma cidade que fica no sertão paraibano e a cidade ficou conhecido como a Roliude Nordestina (é assim mesmo que escreve). Também não é para menos. Foram vários os filmes rodados em cabaceiras. Quem não se lembra do cômico Alto da compadecida? Pois bem, foi todinho rodado lá.

Mas por que tantos cineastas brasileiros escolhem cabaceiras para rodar seus filmes? A principal explicação são as poucas chuvas. Cabaceiras é um dos lugares do nordeste que menos chove e muito dificilmente uma gravação é suspensa por causa de chuvas.
Outros fatores que atraem os cineastas até cabeceiras é a beleza exótica do lugar. Cabaceiras é um dos lugares mais diferente do nordeste. Paisagem apropriada com rochas, lajedos e muitas paisagens atípicas.


Outros fatores que atraem os cineastas até cabeceiras é a beleza exótica do lugar. Cabaceiras é um dos lugares mais diferente do nordeste. Paisagem apropriada com rochas, lajedos e muitas paisagens atípicas. 
Ainda outro ponto interessante que atrai a atenção na roliude nordestina é a criação de bodes. Concursos e a culinária envolvendo o bode chamam a atenção dos turistas que vão até cabeceiras, a roliude nordestina. Aqui acontece um pouco de tudo.

Vi no 
Blog do Toinho 

domingo, 8 de julho de 2012

SÃO PAULO EM 1943

       Para os que gostam de "sentir" o passado de nossos pais, quando
 éramos crianças (ou nem havíamos ainda nascido), esse é um belo 
filme sobre São Paulo.
São 15 minutos, mas vale à pena deixar-se carregar e ver a cidade de
pouco mais de 1 milhão de habitantes, onde muitas coisas estão
preservadas até hoje.
Este filme sobre a cidade de São Paulo, feito pelo governo americano,
fazia parte do esforço de guerra da época, 1943. É uma peça de
propaganda muito bem elaborada para ser divulgada nos EUA de então.
Cabe lembrar, que neste período, o Brasil estava sob a ditadura de
Vargas e que, politicamente, o país tendia a se aproximar do fascismo
italiano e do nazismo alemão.
Com a entrada dos EUA na guerra, depois de Pearl Harbor, a situação do
 mundo pendia para o Eixo ROBERTO (Roma, Berlim, Tokio) e os aliados
não tinham mais onde obter matérias primas para a indústria de guerra.
A África, Ásia e o Pacífico Sul estavam nas mãos do Eixo. Sobrava o
Brasil... e foi assim que o presidente Roosevelt, dos EUA, veio para
cá negociar a participação do país do lado aliado.
Coincidência ou não, vários navios mercantes brasileiros foram
torpedeados, causando mortes...
À época disseram que a responsabilidade dos ataques cabia aos
submarinos alemães, mas há quem diga que a iniciativa partiu dos
ianques ou ingleses, cujo intuito seria o de forçar a entrada do
Brasil na guerra ao lado dos aliados.
De qualquer maneira, Vargas, sob tremenda pressão popular, declarou
guerra contra o Eixo.
A partir de então, os EUA fizeram uma enorme campanha para enaltecer e
valorizar os países amigos do Hemisfério Sul, especialmente o Brasil,
de onde saiu muita coisa que os aliados precisavam para manter a
indústria da guerra funcionando, inclusive bases aeronavais no
nordeste, como a de Natal e Fernando de Noronha.
De lá saíram as primeiras invasões aliadas ao Norte da África.
Coube à Marinha de Guerra brasileira a responsabilidade de comboiar os
navios mercantes que iam para os EUA ao longo da costa do país. E isso
foi feito com poucas perdas para os aliados.
O filme em questão, sobre São Paulo em 1943, insere-se neste período.
A cidade e o Estado são mostrados sob uma ótica tipicamente
norte-americana, um exemplo clássico de propaganda de esforço de
guerra.

Confira...

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Apodienses no II Fòrum da Internet no Brasil em Olinda PE.

Caubí Torres e Izadora Torres no II Fórum da Internet no Brasil
Abertura do Fórum

 O professor Caubí Torres coordenador do Projeto MIDEP (Modelo de Inclusão Digital para Empreendimentos Produtivos) e Izadora Torres, educadora Social da Estação Digital Espaço Virtual, de Córrego, Apodi RN, participam agora do II Fòrum da Internet no Brasil, que foi iniciado ontem (03/07) e vai até amanhã (05/07) em Olinda – PE, representando o município de Apodi no Fórum. 

O que é o FórumO CGI.br promove o Fórum da Internet no Brasil com o objetivo de reunir participantes dos setores governamentais, empresariais, acadêmicos, das organizações da sociedade civil, técnicos, estudantes e todos os interessados e envolvidos nos debates e temas a respeito da Internet no Brasil e no mundo. O Fórum é portanto um espaço aberto e um convite para debatermos os desafios atuais e futuros da Internet.
 
Mais informações sobre o fórum clicar aqui  


Caubí Torres