Apodi RN

Loading...

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

OS ATAQUES DO GRUPO DE LAMPIÃO A APODI (10.05.1927) E A MOSSORÓ (13.06.1927).

Historiador Marcos Pinto

MARCOS PINTO: "JERÔNIMO ROSADO E FELIPE GUERRA PARTICIPARAM DO COMPLÔ PARA O ATAQUE DE LAMPIÃO A MOSSORÓ!"

O historiador Marcos Pinto, autor do respeitado "Datas e 
Notas para a Historia de Apody", concedeu esta entrevista aowww.honoriodemedeiros.blogspot.com Confiram abaixo:
Honório: vc é defensor da teoria da participação direta, embora oculta, de Jerônimo Rosado nas articulações para o ataque de Lampião à Mossoró. Como isso aconteceu?
Marcos: Cresci ouvindo  meu  avô  paterno  ARISTIDES FERREIRA  PINTO (18.04.1907 / 19.09.1975)  narrar, de forma  minuciosa, no  alpendre  de  sua  fazenda, a  saga do seu  irmão  Cel. FRANCISCO  FERREIRA  PINTO (17.04.1895 / 02.05.1934), sempre  relatando  trechos da carta  escrita  pelo  mesmo, e  enviada  para o  seu parente  RODOLFO  FERNANDES, por  emissário especial, após o  célebre  ataque à  Apodi por  uma parte  do bando  do  famigerado  Lampião, comandados pelo  célebre  cangaceiro  Massilon  Benevides, fato ocorrido  à  10 de Maio  de  1927.
Honório: em que vc se fundamenta para defender essa teoria?
Marcos: Lembro-me que o meu  avô  fez  o  relato sempre  observando    ter  ouvido  inúmeras  vezes  do seu  perseguido  irmão, que  dentre  o intrincado  de particularidades  da  missiva  informando  o  Rodolfo, destacava:
Que fora informado por pessoa  de  acentuada estima  e  confiança, de que fora  armado  um  complô com fito  único  de  exterminá-los  fisicamente, engendrado  pelo  quarteto   sinistro  composta  por Jerônimo  Rosado, Felipe  Guerra,  seu  cunhado Tilon Gurgel, que   por sua  vez  arregimentou  a  participação do  seu genro  Décio  Holanda;
O alerta a    Rodolfo  para  a  necessidade  e   cuidados  de  chefe  de  estado em  só  arregimentar pessoas de  sua mais  íntima  amizade  e  confiança, de preferência  parentes;
Que o complô  tinha  como  objetivo  abrir lacunas  nos  executivos de  Apodi  e  Mossoró, proporcionando  a  assunção de Tilon  Gurgel  em  Apodi, e  o  retorno  de  Jerônimo  Rosado ao  comando  do executivo  mossoroense, na  Presidência da Intendência municipal (Equivalente ao de Prefeito) que  já  ocupara no  período  1917-1919, tendo  como  Vice-Presidente da Intendência (equivalente ao cargo de Vice-Prefeito) o  Dr. Antonio  Soares  Júnior, genro  de  Felipe  Guerra;
Honório: é sabido de sua anterior e forte ligação com Vingt-Un Rosado. Seu afastamento dele se deveu à sua teoria acerca da participação de Jerônimo Rosado no ataque de Lampião a Mossoró?
Marcos: Antes de adentrar na resposta, faço a observação  de  que  o  grande  e  profícuo  historiador VINGT-UN  ROSADO  enfatizou, em um dos  seus  livros em  que  aborda  a  atuação  de  seu  irmão  Dix-Sept como  governador  do  RN, a  importância  do mesmo ter ratificado  o  intrínseco  vínculo  de  amizade  existente entre  seu  pai (Jerônimo  Rosado) e  o  Dr. Felipe Guerra,com a  nomeação  do  Dr.  OTO  GUERRA  para o  pomposo  cargo  de  Procurador  Geral  do  Estado.
Acredito que o  sutil  afastamento  do  VINGT-UN  em  relação  a  minha  pessoa  dera-se  em decorrência  de um  artigo que escrevi  em  um  jornal de  Mossoró, com  o  sugestivo  título  "FORJARAM FATOS  NA  HISTÓRIA DE  MOSSORÓ"  em que desmitifiquei   fatos  supostamente históricos  elencados por  VINGT-UN  sobre  o  "MOTIM  DAS  MULHERES" e  sob  o  verdadeiro  motivo  que fez  com  que  o  então governador  DIX-SEPT  ROSADO  encetasse  a  viagem ao  Rio de Janeiro, então Capital  da  República, ou seja, que a  viagem  dera-se  em atendimento  a  um telegrama  enviado  pelo  Presidente  Getúlio  Vargas, que  pretendia  aparar  arestas existentes entre  DIX-SEPT  e  o  CAFÉ  FILHO, então  Vice-Presidente  da república.  Ressalte-se que o Dr. VINGT-UN nunca deixou de  saudar-me  quando  nos  encontrávamos.  Em que cofre estará escondida a carta do Cel. Francisco Pinto? Terá sido incinerada pelo Dr. Aldo  Fernandes, genro  de  Jerônimo  Rosado ?  Por que deram  sumiço a  essa  prova, que  paira  apenas como uma  referência metafórica  a  um segredo ?
Honório: há, em sua opinião, alguma relação entre o ataque a Apodi, feito por Massilon, e o ataque a Mossoró, no qual esse cangaceiro chefiava um dos subgrupos de Lampião?
Os interesses políticos e  pessoais  que  uniam JERÔNIMO  ROSADO, FELIPE GUERRA  e  seu cunhado  TILON GURGEL, somado  à  intrínseca participação  do seu genro Décio  Holanda, conduz  à certeza  de  que havia  um  consórcio em confidências íntimas  e  profundas. Delas se poderá até deduzir  que, nos  episódios  do  10 de Maio  de  1927  e  de  13 de Junho  do mesmo  ano, Jerônimo  e  Felipe  Guerra atuaram  como  espécies  de   mentores  com acentuadas  ascendências. As perspectivas de sucesso das nefastas empreitadas alegravam perversamente os seus espíritos.  Em sentido adverso a eles, os desígnios divinos anularam tamanha virulência em matéria de inveja  e  cobiça. Nuances que anularam seus princípios de homens públicos e anulam suas individualidades. Foram pródigos em protagonizarem distorções de caráter. A ânsia pelo poder fez com que perdessem inteiramente o contato  com  a  realidade.
Honório vc está escrevendo algum livro, atualmente?
Marcos:      Sim, estou em fase de conclusão  trabalho de  cunho  histórico/genealógico  com  o  título "SUBSÍDIOS  PARA  A  HISTÓRIA           FAMÍLIAS APODIENSES".

Marcos Pinto - HISTORIADOR APODIENSE.

Um comentário:

Ari Bandeira disse...

Quando pequeno minha avó Francina me contava histórias sobre a invasão de Mussilon a Apodi, na época ela me dizia que os Gangaceiros pouco levaram de Apodi, mas saquearam comécios e distribuiam mercadorias com o povo mas pobre, ela mesmo dizia que a sua mãe e ela foram beneficiada com várias peças de sedas de um comerciante que teria sifdo morto amarrado em uma cajarana de frente onde hoje é a padaria de seu Raimundo Sena e que depois disso os bandoleiros batiam nas portas da casa e mandavam o povo levar o que tinha no comercio. Isso condiz com o que você diz, pois pareciam assim que eles estavam afim de resolver outra coisa e não saquear pra eles mesmo o comercio local.


Marcos quero aproveitar o momento e avizar que nosso pai, mestre de Obra e pedreiro João Neri veio a óbtico nas primeiras horas de 2012.


Grato Ari Bandeira